2009 – O ano em que a TV foi dominada por 5 estereótipos


Se você pretende ingressar no mercado televisivo em 2010 e quer fazer algum sucesso, melhor ficar atento as tendências do ano que passou. Entre um e outro clichê, as séries mais assistidas lá fora deram voltas e mais voltas ao redor dos mesmos estereótipos. Sente só o drama (ou a comédia):


O Sociopata camarada
House, Dexter, Damages, Smallville e The Prisoner (2009)
2009 foi o ano em que House tornou-se a série mais assistida do mundo (especialmente pelo público feminino), Dexter teve o final de temporada mais bombado do Showtime, Damages garantiu um Emmy para Glenn Close, Smallville escapou do cancelamento trazendo o perigoso Zod de volta e o remake de The Prisoner nos deu a chance de ver um pouquinho do insanamente lúcido Ian McKellen na televisão.


O Vampiro inofensivo
True Blood, The Vampire Diaries, Demons e Being Human
Que Soookehhh que nada. O sucesso desse ano foi mesmo Eric Northman, premiado no Scream Awards como melhor vilão do ano. Não muito atrás, Damon (o irmão mau) garantiu espectadores para o mais novo drama teen do CW. Em terras britânicas, Mina Harker ressuscitou como o único personagem interessante em Demons e a BBC acertou em cheio com Mitchell, o vampiro roommate cheio de culpa em Being Human.


O Pós-adolescente sem causa
10 Things I Hate About You, Glee, Misfits e Gossip Girl
Quem diria que refazer o filme que tirou Heath Ledger do anonimato daria tão certo? E tudo graças as irmãs Stratford e o novo Patrick Verona (interpretado pelo neto do Gregory Peck). Blair, Serena e Dan permanecem cada vez mais pós-adolescentes mantendo o sucesso de Gossip Girl, ofuscado somente pelos novatos de Glee, série sensação que uniu musical e high school sem o clima Disney. Clima esse que passa longe da turma de Misfits, o Heroes que deu certo do canal britânico E4. Longa vida a Nathan, né?


O Cientista maluco
The Big Bang Theory, Lost, Dollhouse, Stargate Universe, Fringe e Paradox
Desde o Doutor Brown, o cientista maluco sempre terá um lugar guardado no meu coração. Seja ele Sheldon Cooper, Daniel Faraday, Nicholas Rush, Walter Bishop, Topher Brink ou Christian King. Quanto mais surtado, melhor!


O Agente federal salvador
Warehouse 13, Fringe, Flash Forward, V (2009) e Dollhouse
E o maior dos clichês televisivos está de volta, desde Mulder e Scully não tinhamos agentes federais tão prontamente dispostos a nos salvar de todas as enrascadas. Sejam elas: objetos possuídos, alienígenas lagartos, futuros blecautes, realidades alternativas ou o total apocalipse da sociedade como conhecemos.

Que o FBI nos proteja em 2010! Oremos.



This entry was posted in TV and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook