Steve Mason da Beta Band tenta superar depressão em “Boys Outside”


Artista depressivo. Se há um prato suculento a ser devorado pela imprensa este é o principal. Em escala menor às estrelas que estampam os tablóides britânicos, o escocês Steve Mason também tenta se livrar deste estigma que o persegue há muito tempo. Ele é mais conhecido como ex-vocalista da Beta Band, grupo queridinho da crítica mas que no mainstream nunca passou de uma menção na adaptação ao cinema de Alta Fidelidade. Logo após o fim da banda, em 2004, Mason teve que trabalhar em construção para sobreviver após o prejuízo com a recisão de contrato com a EMI para então retornar à música.

Com Alan McGee como empresário, o artista retomou em 2006 o empoeirado projeto solo King Biscuit Time e, no pico de sua depressão, desapareceu por duas semanas pouco antes do lançamento do álbum Black Gold e da turnê. Em entrevista concedida ao Guardian, ele revela que passou este período na pequena cidade natal de Fife à procura da árvore ideal para bater o carro em alta velocidade.

Para curar os 15 anos de depressão maníaca, que teve como estopim a separação dos pais, Mason recorreu a longas sessões de hipnoterapia. Foi nesta época que ele registrou seu gosto pelo electro oitentista, o funk e o Detroit Techno no projeto Black Affair, que lançaria o debut Pleasure Pressure Point em 2008.

A verve eletrônica deste projeto chamou a atenção de Richard X, produtor especializado em electropop e que já trabalhou com Sugababes, Annie e Goldfrapp. Sabendo que Mason estava compondo novas canções, o responsável por Chewing Gum se ofereceu para dar o verniz digital e cristalino às canções criadas com violão.

O resultado são as dez canções de Boys Outside, primeiro trabalho do músico sem adotar nenhum pseudônimo, lançado em maio. Tendo em vista o doloroso retrospecto de Mason, o trabalho é uma bonita e sóbria forma de dizer adeus ao longo período sombrio pelo qual passou. Há dois anos recuperado, Mason agora quer seguir em frente e apagar a imagem da qual não tem o menor orgulho. Para isso, olhar para trás e narrar a melancolia sob a ótica de um homem liberto das trevas faz parte do processo. Não à toa, ele canta na faixa-título “Who on earth did you think you were?/Fifteen years in a prison shirt/And I tried to let you down/Never tried to turn it around”.

Mas o que teoricamente parece ser apenas música-fossa, na prática torna-se edificante. Isto fica claro logo na abertura, com Understand My Heart, que versa sobre ser incompreendido em ritmo malemolente e nas dúvidas existenciais presentes na assobiável Am I Just A Man. Atmosfera suave em contraponto às letras calcadas na armagura não é inédito na carreira de Mason. Boys Outside poderia ser uma extensão natural de Dry The Rain se a Beta Band não desenvolvesse uma sonoridade tão vasta e esquizofrênica. A grande diferença é o peso da maturidade e o approach mais direto do que nunca.

Os momentos mais vulneráveis do escocês estão na dramaticidade de The Letter, repleta de arranjos de cordas, e na melancólica e acústica I Let Her In, em que Mason canta “I wake up every morning with a new broke heart”.

Já os destaques ficam para os dois primeiros singles, All Come Down e Lost and Found. A primeira é de uma cadência tão traquilizante que se o passado do artista fosse omitido a letra passaria batida em meio à melodia que fica entre o pastoral e o etéreo. A segunda ganhou videoclipe que recria, em partes, a descritiva letra, que volta a se referir ao longo período de depressão de Mason (“Fifteen years in the dark I quiver, no one to hold me, stop me shiver”).

Apesar de o fator autobiográfico e a produção sem excessos de Richard X serem pontos altos, nada do que é cantado passaria tão incólume se o vocal aveludado de Steve Mason não fosse tão irrepreensível quanto é neste álbum. Suave como a de Guy Garvey do Elbow, sua voz transborda sinceridade, o que aproxima o ouvinte às histórias sobre solidão que ele tem para contar.

E é daí que vem a grande força de Boys Outside. Não é um álbum ambicioso e pronto para ocupar as listas de melhores do ano, mas sim uma soma do péssimo retrospecto pessoal exteriorizado em um modesto e belo trabalho. Seja bem vindo, novo Steve Mason.

Ouça abaixo o streaming do álbum:

Steve Mason – ‘Boys Outside’ by DominoRecordCo



This entry was posted in Clipes, Música and tagged , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook