MUSE: o show!


muse
Foto: amand a

Conforme prometido, segue no link o relato extremamente pessoal sobre o intenso show do Muse:

Pré-show – Jay Vaquer

[...]

Jay Vaquer já estava no palco quando entrei no HSBC Brasil. Aproveitei para explorar a pista em busca do melhor lugar para acompanhar o show do Muse. Entenda ‘melhor’ como ‘mais próximo do palco’. Consegui me acomodar a cinco metros da grade, na ala esquerda da pista. Mesmo com os altinhos atrapalhando a visão, fiquei satisfeito por ter chegado próximo.

Galera fria e imóvel durante o Jay. Deu para analisar o público: um misto de headbangers de meia-idade (e tiozões também!) e indies jovens. Taí a receita do sucesso do trio inglês: agregar dois nichos quase sempre conflitantes, como bem observou Arnaldo Branco na resenha do show no Rio, feita para o G1.

Não demorou muito para terminar a apresentação do Jay Vaquer. O pior foi ter que aguardar o meio tempo de acertos no palco. Pelo menos teve uma seleçãozinha descolada de BG: Hot Chip, Klaxons, Justice (duas músicas!), Eagles of Death Metal, CSS, Interpol, Wolfmother entre outras.

Show – Muse

Já eram quase umas 22h30 quando a intro “Dance of the Knights



This entry was posted in Música. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • Bruna

    Esse show foi com certeza o ponto mais alto desse ano todo, se não foi de toda a minha vida!!! Foi perfeito, mágico!

  • Thiago

    caraco a gelere cantando junto q nem show do araketu!

    ainda vejo esse show, acho Muse mil vezes melhor q coldplay

  • http://hectorlima.com HectorLima

    ñ me odeiem, mas vendo os vídeos é fácil entender porque vc viu o metaleiro com a camisa e outros tantos curtindo – parece mesmo mistura de radiohead com iron maiden! =O

  • http://www.twitter.com/ibelli Julio

    Rogério, é SEMPRE idade para ativar o modo selvagem. bom texto