“Watchmen – O Filme”: Análise de leigo


Vale tudo para restabelecer a paz mundial e acabar com a auto destruição humana? Tal maquiavelismo genérico não é novidade, mas nos 163 minutos de “Watchmen – O Filme” o questionamento com fundos sociopolíticos transpõe o mero desenvolvimento dos personagens comumente visto na maioria das adaptações de HQ para as telonas. “Batman – The Dark Knight” foi apenas um tira-gosto para fazer o público refletir sobre valores éticos. Em “Watchmen – O Filme” o buraco é mais fundo. O Comediante, por exemplo, não precisa ser tentado por alguém a provar o gostinho do lado negro da força assim como ocorre com Harvey Dent. Ele pertence aos dois lados. Desnecessário contar sobre o plot, né? O Google faz este favor para você.

comedian

Para quem conhece os quadrinhos de cór e salteado, nadadenovo. Mas para leigos de HQ´s como eu, não fiquem amedrontados com a ameaça fake de que não vão entender nada do filme. É tudo terrorismo dos sabichões que subestimam o mínimo de sensibilidade e contexto histórico que aprendemos na escola. De fato é um filme bem mais denso que qualquer outro do filão, mas é muito recompensador acompanhar o desenvolvimento do filme mesmo sem mal ter lido a sinopse antes, como foi o meu caso. Apesar de que é bem verdade que “Frost/Nixon” ainda está fresco na minha cabeça e ajudou a relembrar que Nixon já tinha ido pro saco nos anos 70. Aliás, cadê Frank Lagella no filme? =P

É óbvio que os experts na história irão extrair muito mais referências que o público geral, mas quem gosta de sair do cinema com divagações sobre a natureza humana também valerá a pena. Independentemente de ser conservador ou liberal, é um filme para rever e absorver por completo o texto infestado de metáforas provavelmente extraídas na íntegra da matriz. Lembrar de “Os Incríveis” já é um ponto de partida para compreender o contexto no qual os heróis se encontram nos anos 80.

Quanto às atuações em geral, o grande destaque fica para Jackie Earle Haley encarnando o sinistro e perturbador Rorschach. Não é a primeira vez que Haley interpreta um personagem tão complexo de perfil psicológico tão bagunçado. Para quem não lembra, ele participou de “Pecados



This entry was posted in Cinema, HQ-Comics. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://hectorlima.com HectorLima

    mandou bem!

  • Marcelo

    Infelizmente, mais um filme para acabar com os Heróis tradicionais que ajudam e salvam. Cada vez mais o cinema venera os bandidos e o lado do mal se torna mais importante que o bem.

  • http://hectorlima.com HectorLima

    você VIU o filme, Marcelo?

  • William

    EXCELENTE FILME!!!

  • http://xandrelima.blogspot.com Xandre Lima

    Também gostei muito do filme, mas é uma pena que tenham mudado tanta coisa da HQ com a desculpa de estarem “ajustando o texto para o cinema”… Escrevi uma resenha no meu blog (http://xandrelima.blogspot.com). By the way, gostei muito do design do seu blog!! Abraço.