SDCC 2010: Grant Morrison vai escrever filme independente e Batman inspirado em games


O roteirista de HQ mais relevante da atualidade participou de quatro painéis ontem na San Diego Comicon: um focado apenas nele, um sobre Batman, um sobre o Universo DC [no qual ficou sentado ao lado de um cosplayer de Darkseid] e outro sobre seu documentário. As maiores novidades são as seguintes:

vai escrever em um modelo de colaboração com internautas o roteiro do filme independente SINATORO, a ser dirigido pelo videomaker Adam Egypt Mortimer, e a história do road movie segue um amnésico que após um acidente de carro se junta a um astronauta perdido, um caubói bêbado e um exército de mendigos para defender uma cidade de forças sinistras;

- a mini-série MULTIVERSITY vai mostrar a cada edição um universo paralelo dentro do Multiverso DC. Frank Quitely vai fazer a arte da homenagem a WATCHMEN, enquanto Cameron Stweart vai cuidar de THUNDERWORLD, com outra versão da Família Marvel [Shazam]. Fora isso Morrison e Geoff Johns farão “algo grande” para 2011… um crossover, talvez?

- WE3 ganhará edição Absolute com 10 páginas a mais em breve e talvez as pendências jurídicas da DC com a Charles Atlas estejam se resolvendo para que uma edição encadernada de FLEX MENTALLO finalmente possa sair. SEAGUY ETERNAL, última parte da trilogia da Vertigo, terá lançamento programado para breve, bem como o encadernado de JOE THE BARBARIAN;

– Por mais que Morrison sempre diga que vai sair de BATMAN, sempre acaba tendo novas idéias – a próxima é BATMAN INC., em que Bruce Wayne após retornar com uma roupa nova e coordenar uma equipe rotativa de heróis para defender Gotham. Os desenhos do primeiro arco serão de Yannick Paquette e segundo Morrison vai ser grande a influência do desenho animado BRAVE AND THE BOLD e narrativa visual de games como JUST CAUSE 2 e CALL OF DUTY: MODERN WARFARE, do qual ele é muito fã. Outra influência será o dos roteiristas da Marvel dos anos 70, que misturavam 1ª, 2ª e 3ª pessoas na narração de uma mesma história e criavam uma parede psicodélica de vozes;

- uma pessoa na platéia perguntou sobre a idéia por trás de ALL-STAR SUPERMAN e a resposta foi que o Super-Homem representava ideais de Iluminação da Humanidade, independente de valores norte-americanos:

Temos essa capacidade de nos adaptar. Está dentro do nosso alcance sermos bons como ele. Eu vejo o Super-Homem como uma espécie de deus pagão, tecnológico, um Jesus da Ficção Científica.



This entry was posted in Cinema, Games, HQ-Comics and tagged , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook