Peter Milligan assume Hellblazer em janeiro


“Esta é uma história sobre como ações de muito tempo atrás podem ter efeitos devastadores no presente.” É assim que Peter Milligan começa a explicar qual será o enfoque de Hellblazer a partir de janeiro de 2009, quando ele assume o posto de escritor regular da série.

Antes disso, o roteirista participa da edição comemorativa a ser publicada em dezembro, de número #250, que reunirá diversos autores e desenhistas para darem suas visões sobre aspectos distintos do personagem.

Para Milligan, que costuma ouvir as pessoas se referirem a John Constantine como um bastardo, esta é “apenas uma parte de quem ele é. Eu conheci alguns bastardos, e Constantine não é um deles. No fundo ele é um homem decente, com um código moral – só que ele não sabe muito bem que código é esse, e ele acaba sempre ficando muito distante dos padrões que coloca para si mesmo.”

E todo bom homem precisa de uma mulher decente, certo? É o que deve pensar Milligan ao estabelecer um par romântico para Constantine; uma mulher que, mesmo sabendo do que ele é capaz e do que o sujeito já fez, decidirá continuar ao seu lado. Elementos do passado do mago, no entanto, devem complicar o relacionamento, garante o autor.

Milligan, que depois de seu run em X-Force/X-Static no começo dos anos 00 tem passado por uma fase de trabalhos menores ou pouco comentados, assume a série ao lado do desenhista italiano Giuseppe Camuncoli (The Intimates); uma escolha pra lá de estranha para uma série como Hellblazer.



This entry was posted in HQ-Comics. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://hqvertigem.blogspot.com Von DEWS!

    Não achei uma boa escolha…
    Milligan perdeu a mão, seus roteiros não tem a mesma “pegada” de antigamente!

    “fase de trabalhos menores ou pouco comentados”, pelo contrário! Ele roteirizou nada mais , nada menos do que a revista dos X-Men depois de sair da X-Force, praticamente aumentou a visibilidade do trabalho dele em 100%, e fez um dos piores runs de todos nos mutantes, pior até que o antecessor dele, Chuck Austen!

    Espero que de volta a Vertigo ele melhore, mas é difícil!

    E a idéia da “Mulher na vida dele”, já foi (muito bem) explorada pelo Paul Jenkins na fase dele… não vai ser novidade nenhuma!

    Enfim… nada de bom nessa notícia!