Liga Extraordinária 1988: o melhor Primeiro de Abril que deveria ser real


Entre brincadeiras e joselitices cometidas por jornalistas ontem no Dia da Mentira a melhor foi publicada pelo site Comics Alliance: a editora Top Shelf lançaria a continuação de LEAGUE OF EXTRAORDINARY GENTLEMEN [LIGA EXTRAORDINÁRIA], mostrando agora os maiores heróis televisivos e cinematográficos de 1988.

Escrita por Alan Moore e desenhada por Rusty Shackles [substituindo Kevin O'Neill], LEAGUE OF EXTRADORDINARY MEN – AMERICA: 1988 teria este fantástico enredo:

Quando o herói de guerra transformado em faz-tudo Kesuke Miyagi [de KARATE KID] é encontrado sem sangue no seu corpo, fica claro que a gangue oculta de vampiros conhecida como GAROTOS PERDIDOS tem apenas como alvos os indivíduos que podem impedi-los de dominar completamente a América. É o caso perfeito para a Liga Extraordinária – exceto que seu contato no governo, Oscar Goldman [o chefe do HOMEM DE SEIS MILHÕES DE DÓLARES], desfez o grupo em 1979 após derrotarem o exército de mortos-vivos de Mr. Han [de OPERAÇÃO DRAGÃO].

Agora, o cientista desacreditado Emmet Brown [de DE VOLTA PARA O FUTURO] tem de unir um novo grupo para combater a ameaça iminente dos Garotos Perdidos e seu líder, o recém-ressuscitado chefe do crime Tony Montana [de SCARFACE]: ele é composto pelo especialista em transporte Jack Burton [de AVENTUREIROS DO BAIRRO PROIBIDO], o ex-comando B.A. Baracus [de ESQUADRÃO CLASSE-A], o mago da tecnologia Angus MACGYVER e a misteriosa e poderosa femme fatale conhecida apenas como “Lisa” [de MULHER NOTA MIL]. Mas será Brown capaz de parar os Garotos Perdidos antes que o tempo se esgote?

U$9.99 – 64 páginas, cores – parte 1 de 2 – Programado para chegar às lojas em 1º de Abril de 2011

Como a Liga é a união dos heróis de seu tempo, muito bom ver ao fundo as fotos da incrível versão dos anos 70 da Liga [em sentido horário]: o policial Serpico [do filme homônimo], o boxeador Rocky Balboa [dispensa apresentações], o ciborgue Steve Austin [de HOMEM DE SEIS MILHÕES DE DÓLARES], o motorista Bandit [de AGARRE-ME SE PUDERES], o investigador Shaft [do filme homônimo] e a bela agente secreta Jill Munroe [de AS PANTERAS].

Vi alguém falando por aí que essa Liga de 1988 estaria perfeita com pelo menos mais dois membros: Connor MacLeod, o imortal espadachim de HIGHLANDER e o cientista roqueiro Buckaroo Banzai [do filme homônimo]; eu pessoalmente colocaria ao menos mais um: o agente Michael Knight e seu carro-robô K.I.T, mas aí essa liga ficaria poderosa demais, nem teria graça.

Ok, por que isso não pode ser verdade? Vamos lá, Alan Moore, não importa que nenhum desses personagens caiu em domínio público ainda; sabemos que você ama um desafio jurídico… vamos nessa, cara, faz esse esforço pela gente.

Bônus: e como seria uma Liga Extraordinária Brasileira? Nosso very own Denis Pacheco teve ótimas idéias pra isso, bem como o blog Pérolas Para Porcos.

[compre: HQs de Alan Moore]



This entry was posted in Artes, Design, HQ-Comics and tagged . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://cadusimoes.com Cadu Simões

    Nenhum desses personagens caiu em domínio público, e se depender do lobby da Disney, nunca vão cair.

  • helder

    wtf, não entendi o comentário acima.

  • http://cadusimoes.com Cadu Simões

    Helder, nunca ouvi falar da lei Mickey?

    Toda vez que o Mickey vai entrar em domínio público, a Disney faz lobby no congresso norte-americano pra aumentar o período de validade de copyright. Foi assim q a validade do copyright, q começou em 14 anos, atualmente está em 100 anos, e se depender da Disney, vai aumentar até a enternidade, pois eles não querem largar o osso e deixar seus personagens cairem em domínio público. O problema desse lobby da Disney, é que a lei vale pra todos, então não só os personagens da Disney não caem em domínio público, como todas as criações artística feitas nos EUA a partir da decada de 30 do século passado também não.

    É a primeira vez na história da humanidade q temo a produção cultural de quase um século inteiro travada sob copyright. A ironia das ironias é q justamente a Disney se tornou o império do entretenimento que é hoje, utilizando-se de obras de domínio público como Branca de Neve, Aladin, entre tantas outras. Hipócrita é pouco pra definir a Disney.

  • Morelli

    Nhé, o Doutor Brown tem uma máquina do tempo, ele poderia reunir os maiores modafókers do passado, presente e futuro. Isso sim seria uma idéia que poderia empolgar o Moore…

  • Eu

    Eu trocaria o Jack Burton, pelo chinês que protagonizava o filme junto com ele. Pois o Jack, apesar de ter mata o Lo pan, quem quebra tudo mesmo é o Wang Chi.