joe johnston vai dirigir FIRST AVENGER: CAPTAIN AMERICA


o Hollywood Reporter anunciou hoje de manhã que Joe Johnston assinou contrato pra dirigir o filme do Capitão América, que está sendo produzido por Kevin Feige.

o filme ainda não tem roteiristas nem atores escalados, mas já tem data de estréia: 6 de maio de 2011. e que será ambientado na Segunda Guerra pra contar a origem do personagem franzino que se submete a um experimento militar para combater os nazistas como um supersoldado – e ligá-la com o grupo de super-heróis Vingadores, cujo filme também estréia no mesmo ano.

o ator que assinar a linha pontilhada vai ter que entrar nessa sabendo que vai ficar meio preso ao personagem por conta disso, já que o filme do Cap é parte de um projeto ambicioso da Marvel Studios de criar um universo compartilhado. coisa que vem sendo feita com os filmes recentes [c\ Tony Stark aparecendo no filme do Hulk, Nick Fury no filme do Homem de Ferro e o escudo do Capitão em ambos]. antes disso o plano de franquia da Marvel prevê um filme do Thor e um segundo Homem de Ferro, cuja produção já começou.

Joe Johnston é um operário-padrão de “filmes pra família”: começou como designer de produção e storyboarder de fitas como STAR WARS, CAÇADORES DA ARCA PERDIDA e dirigiu QUERIDA, ENCOLHI AS CRIANÇAS, JUMANJI, JURASSIC PARK 3 e ROCKETEER [que adaptava a HQ vintage do falecido Dave Stevens sobre um homem-foguete; talvez o que pesou mais pra chamarem o cara]. seus fimes mais recentes são HIDALGO, com Viggo Mortensen, e WOLF MAN, com Benicio Del Toro – refilmagem do clássico com Lon Chaney – que estréia ano que vem.

o personagem costuma funcionar como reflexo do inconsciente norte-americano. nesses anos de ditadura Busheney ele era motivo de vergonha de ser yankee pro resto do mundo, vivia deprê [era um constante fodido], e terminou morto em uma conspiração criada pelo premiado roteirista Ed Brubaker. agora com os EUA mais otimistas com tanta “esperança” muito bem marketeada pela equipe do eleito Barack Obama chegou a se falar até em Will Smith na pele de Steve Rogers, mas a idéia foi logo desmentida. quem deve pegar o papel, se não for um Brad Pitt ou um Matt Damon, o soldado Ryan em pessoa, vai ser um ilustre desconhecido com cara de bom moço.

esta não é a primeira vez em que o Capitão América é adaptado com atores de carne e osso:

- no seriado de cinema da Republic, feito em 1944 [quando a editora Marvel se chamava Timely] pra passar antes do filme principal. aqui o Capitão era vivido por Dick Purcell, e era um advogado [oi?] chamado Grant Gardner [oioi?] que não tinha o famoso escudo [qqq?], mas cujas aventuras em que combatia bandidos e espiões eram bem no espírito inocente da HQ original [a época ajudava].

- nos 2 telefilmes-piloto de 1978 feitos na esteira do sucesso da série do Hulk e do Homem-Aranha, mas que nunca renderam uma série. aqui a origem foi totalmente atualizada e simplificada [até pelo orçamento disponível], fazendo este um quase um heróido mundo paralelo: Steve Rogers [o fortinho Reb Brown] era um ilustrador que caiu com seu furgão num abismo e recebeu na veia o soro do Super-Soldado, desenvolvido pelo próprio pai nos anos 40 e pelo qual havia sido ridicularizado pelos colegas do governo, sendo chamado de “capitão américa”. Steve renasce na mesa de operação – numa onda meio HOMEM DE 6 MILHÕES DE DÓLARES – e corre os EUA em sua nova van combatendo o crime e terroristas [como o perigoso... Miguel, vivido por Christopher Lee], armado do escudo transparente embutido em sua moto istáile. sua máscara era o próprio capacete. não lembro do Rogers da HQ ser ilustrador, acho que incorporaram isso dos pilotos nas histórias impressas nos anos 80. os 2 telefilmes passaram no Brasil, tenho uma memória viva deles, e preciso rever na internet essa beleza.


- em 1990 – na tentativa de capitalizar em cima do sucesso do Batman do Tim Burton – o produtor de origem palestina e polonesa Menahen Golan [de vários filmes de ação com Chuck Norris e do filme de arte "Powaqqatsi" !?] chamou um de ses diretores favoritos, Albert Pyun [de CYBORG, com Jean-Claude Van Damme] pra filmar na Polônia a versão mais fiel do personagem feita até hoje. acompanhei na época pela revista COMIC SCNE as novas da produção mas nunca vi o filme; dizem que era tão ruim que só saiu em vídeo. o Steve Rogers da vez era Matt Salinger, filho do escritor JD salinger e tão magro que a roupa ficava com várias dobras [inclusive na orelha de borracha, detalhe bizarro do figurino]. o Caveira Vermelha, de alemão transformado em italiano, foi feito por Scott Paulin, operário-padrão da TV.



This entry was posted in Cinema, HQ-Comics and tagged , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://bit-hunter.net/cafedamanhadoscampeoes/ Pablo

    Assisti o filme com o Caveira italino quando moleque, no SBT, e lembro de ter gostado – tenho medo de rever hoje, claro.

    Se a idéia for ambientar o novo filme na 2ª Guerra e fazer valer um tipo de proposta realista do personagem, que usem a versão Ultimate – provavelmente um dos grandes acertos no run do Mark Millar nos Supremos.

    E, pra coisa ficar ainda mais divertida, que insiram no filme dos Vingadores aquela cRássica frase do bandeiroso sobre o A na testa e os franceses (só de lembrar me dá vontade de rir).

  • http://hectorlima.com HectorLima

    haha, duvido que ussem essa frase agora que os norte-americanos estão por cima de novo com o obama.

    achei o filme de 90 aqui; tô vendo agora e achando toscaço:
    http://br.youtube.com/watch?v=wbQkxRhaZrw&feature=related

    tb acho que ir por um lance meio Ultimates, inspirado no soldado ryan, eh uma boa.

  • http://www.twitter.com/amedyr Ann

    Nunca gostei de Capitão América, então pergunto: qual é a tal da história do A na testa?

  • http://hectorlima.com HectorLima

    na versão Ultimate dos Vingadores [a que tá sendo mais usada na adaptação pro cinema - vide o samuel jackson de tapa olho] o Cap é beeeem conservador e soltou a seguinte merda pra um invasor Skrull que mandou ele se render:

    http://img520.imageshack.us/img520/9259/ultimates12pyratep25nw8.jpg

    foi só mais uma tentativa do roteirista mark millar de fazer com que o personagem fosse escrotinho como ele. só que o cap. américa do universo normal da marvel [escrito pelo brubaker] anos depois mostrou em um flashback como lutou ao lado dos franceses por Paris até não dar mais e os nazistas dominarem – como rolou mesmo, historicamente.

  • http://www.twitter.com/amedyr Ann

    Santa escrotation, Batman! :o