Global Frequency de volta a TV


A série mais popular da TV jamais exibida” ganhou uma segunda chance na telinha. Foi o que informou a revista Production Weekly por meio do seu twitter.

Criação do roteirista britânico Warren Ellis, Global Frequency (Frequência Global no Brasil) foi uma série em quadrinhos de 12 números publicada pelo selo WildStorm da DC Comics, onde cada edição apresentava uma história fechada ilustrada por um artista diferente.

O foco era centrado nas diferentes missões da agência de resgate e espionagem independente que dá título a série, comandada por Miranda Zero e tendo como coordenadora de atividades a especialista em comunicações Aleph; as únicas personagens recorrentes nas histórias, já que a cada trama um novo protagonista era elencado.

A Global Frequency era composta por 1.001 operativos espalhados pelo mundo: cientistas, espiões, policiais, entre outros. Dependendo da missão e da localidade, um ou vários especialistas eram contatados por um celular especial, que só os integrantes da agência possuíam. “Você está na Frequência Global”, a frase feita que estampava a capa de cada edição, era dita em cada ligação.

Publicada entre outubro de 2002 e junho de 2004, a série foi bem recebida pela crítica e pelos leitores. Em 2004 foi indicada na categoria de Melhor Série Limitada do Eisner Awards, o Oscar dos quadrinhos. A boa receptividade e a formatação dada por Ellis a HQ, como se estivesse apresentando um seriado televisivo com episódios fechados, levou a mesma a telinha.

A produção, no entanto, não passou de um episódio piloto jamais veiculado na TV, mas que vazou para a Internet. Estrelando Michelle Forbes (True Blood) como Miranda Zero, Aimee Garcia (Trauma) como Aleph e Josh Hopkins (Cougar Town) e Jenni Baird (The 4400) como Sean Flynn e Dra. Katrina Finch, respectivamente, personagens “principais” criados especialmente para a série, o piloto foi bastante elogiado pelo público (do qual não faço parte, apesar de ter achado a Michelle Forbes o maior tesão como Miranda. Sim, tesão!).

Agora, o canal norte-americano CW – que exibe Gossip Girl, The Vampire Diares, America’s Next Top Model, entre outros – decidiu ressuscitar a adaptação televisiva da HQ. Scott Nimerfro, roteirista de séries como Pushing Daises e Stargate: Atlantis, ficou encarregado do piloto. Ainda não há detalhes sobre o elenco. Ellis informou que, até que o estúdio dê sinal verde, ele não pode falar mais nada sobre o assunto.

[compre: HQs de Warren Ellis em português / ou Global Frequency em Inglês: Vol 1 e Vol 2]



This entry was posted in HQ-Comics, TV and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://www.twitter.com/moebiusdiniz Moebius

    Boa!
    Na epoca eu tbm achei a Forbes um tesão, mas hj em dia eu tenho um desgosto forte dela depois do jeto que o personagem dela escrotizou a 2a temporada de True Blood.
    Mas vamo lá, tenho fé na série.

  • Barão Fenrir

    Aquele piloto foi muito melhor que muitas séries que estão atualmente no ar.

  • http://www.twitter.com/jacquefollet jaqueline

    não acho que a a Forbes estava escrota, e sim maravilhosa. Só pelo fato dela causar ódio como Maryann , ela ja estava arrasando!
    Nunca vi um personagem tão complexo quanto o dela .

  • http://www.fangtasiabrasil.com João

    Muita gente ficou de saco cheio da Maryann mesmo, o que, convenhamos, é compreensível. Eu torci por ela até o final :(
    A Michelle fazendo papel de mulher durona é demais, nunca esqueço dela como a Almirante Cain em Battlestar Galactica (L)
    Sobre Global Frequency, eu adorei o piloto e queria muito que a série emplacasse, mas… não pelas mãos da CW. Essa emissora sempre caga tudo. E com a Michelle no elenco, claro!