Goma-visão #9 – Águas de Marte, fechando o verão


Doctor Who

Ou deveríamos dizer abrindo? Com essa sacada do Guilherme, dei um jeito de amarrar a coluna da semana. Séries que começaram boas estão tornando-se cada vez mais fracas, séries que começaram fracas tornam-se cada vez mais indispensáveis. O que raios inspira ou desinspira um conjunto de roteiristas, diretores e atores para criar os sucessos ou desastres que cada vez mais nos acostumamos a aceitar?

E essa semana teremos: Doctor Who, The Prisoner, How I Met Your Mother, House, V, Glee, Flash Forward e Project Runway. Todas nadando num oceano de spoilers!

Doctor Who“The Waters of Mars”
Nem mesmo ‘Doctor Who’ escapa dessa minha introdução. A mais antiga série de ficção cientifica que ainda está no ar passou por altos e baixos, chegando quase ao total cancelamento nos anos 90 após um infame filme da Fox. No entanto, ressuscitada pela sagaz mão de Russel T. Davies, ‘Doctor Who’ teve nos últimos 5 anos bem sucedidas 4 novas temporadas e 3 especiais oscilantes que nos preparam para a partida de David Tennant, o atual (10º) Doctor. Em ‘Waters of Mars’, Tennant aproveitou o máximo de sua habilidade dramática conferindo ao plot simples rompantes de uma obra Shakespereana. A força dos diálogos feriu o mais fiel fã do Doutor espacial quando sua ira e falta de companheiros o cegou temporariamente aproximando-se deu maior rival, o Master e consequentemente do fim de “sua canção”. Cercado de excelentes atuações e aproveitando-se de quatro anos de mitologia, o Doctor finalmente nos revelou um ângulo nunca visto em mais de 40 anos desde sua primeira aventura: o quão avassaladora é a solidão para alguém que pode tudo no Universo. Arrepiei mesmo… [compre: DOCTOR WHO em DVD]

The PrisonerThe Prisoner - “Arrival”
Por outro lado, tomando emprestado um roteiro que foi um grande (senão o maior) sucesso nos anos 60, o remake de ‘The Prisoner’ com Jim Caviezel como Six e Ian McKellen como Two, também teve seus altos e baixos. Infelizmente, mais baixos do que altos quando colocado lado a lado com a obra psicodélica original. Nos anos 2000, parece não haver espaço para insanidade plena e tal elemento foi substituído pela mais pura paranóia. Na nova Vila, Six tem que lutar com um número ainda maior de prisões. Desde a mais visceral de todas (o isolamento físico), até os outros tipos de aprisionamento que vão do farmacológico ao ideológico. O terror permeia a série enquanto Six busca respostas para sua chegada e sua súbita perda de identidade. Pode-se dizer que é uma sombra em relação ao que Patrick McGoohan deu ao mundo em 67, entretanto, comparado ao que temos hoje em sci-fi, o remake do ‘The Prisoner’ dá muito mais do que o espectador médio consegue agüentar e nisso tem meu pleno aplauso. A mini-série começou e se encerrou essa semana e eu ainda a resenharei inteira aqui! [compre: a série THE PRISONER original completa em DVD]

How I Met Your Mother“The Playbook”
Quando HIMYM começou prometia ser mais um daqueles sitcoms que cresceria com um determinado público, mas sumiria depois de uma ou duas temporadas. No entanto, na quinta temporada e apenas crescendo, a série tornou-se mesmo a fiel seguidora da linha ‘Friends’ e nos dá semana após semana bons episódios a serem tomados como lição na comédia. Adorei o playbook do Barney com todas as mais complexas e bizarras cantadas possíveis, adorei a Lilly novamente se intrometendo na vida dos amigos e sem querer dando pontapés na direção errada e adorei o fato do Ted estar sendo colocado de lado depois de uma cansativa quarta temporada em que ele foi o principal e cansativo foco. Se continuar assim estou feliz! [compre: HOW I MET YOUR MOTHER em DVD]

HouseHouse“Teamwork”
Aconteceu o que nós queríamos: a fusão. Parte da velha equipe se une a parte da nova equipe e House volta a ter um número considerável de empregados para infernizar. O carma está restabelecido e tudo o que custou foi um suicídio na temporada passada e um homicídio nessa! Cameron está fora da jogada (infelizmente, pra mim o Chase é que deveria ter ido) e House agora pode brincar de aterrorizar a galera enquanto seus pacientes sofrem sintomas agonizantes até que nos cinco minutos finais do episódio sejam salvos por um momento de genialidade que sempre vem. Por quanto tempo essa série vai se manter nessa mesma linha? Não sei, mas até agora funcionou. [compre: House em DVD]

V“A Bright New Day”
Se o terceiro episódio fosse o piloto, ‘V’ teria tido um começo exemplar. Conspirações, mentirosas, agentes duplos, vigilância paranóica e muito mais pra você! Os Visitantes estão mesmo imersos numa complexa trama de traições que agora recebeu um nome: a Quinta Coluna. Erica e o padre (ainda inútil) finalmente se juntam aos rebeldes e começam a perceber que jamais venceriam esse jogo sozinhos e paralelamente um poderoso V se mostra um rebelde bem no centro da mais importante nave alienígena e sob o nariz da belíssima e perigosa Ana. Quem aposta que a Erica vai virar protetora oficial dos V levante a mão! [compre: DVD da série original V, A BATALHA FINAL]

GleeGlee“Ballads”
Quem diria que um episódio sem Sue Sylvester funcionaria tão bem? Pois é, funcionou! Prova de que ‘Glee’ tem mesmo um elenco interessante e pode fazer de sua maior fraqueza (o baby drama), um ponto alto. Primeiro, Mr. Schue cantando ‘Don’t Stand So Close To Me’ pra Rachel foi épico. Segundo, a paixão do Kurt pelo Finn é igualmente épica, algo me diz que traduz parte do que a audiência sente em relação ao gigante do coral e, terceiro, Quinn finalmente subverteu seu estereótipo tornando-se um personagem gostável e humano. Em ‘Glee’ nada é o que parece e ninguém é tão óbvio quando queremos que seja e isso retrata de forma grandiosa a força desse que se tornou o melhor elenco de personagens da temporada. PS: Susie Pepper \o/ [compre: GLEE em DVD]

Flash Forward“Believe”
Digam o que quiserem, o piloto foi bom. Teve ação, teve suspense e teve uma direção firme e hollywoodiana. Entretanto, com episódios como ‘Believe’, FF se enterra ainda mais na irrelevância. Protagonistas sem graça, vilões caricatos, e agora um plot roubado da primeira temporada de ‘Heroes’ mostrando um Japão em que a vida corporativa é maçante, machista e clichê. A única escapatória de realizar seus sonhos é fugir para a América e virar uma popstar. Pois é, quando você começa a se inspirar em ‘Heroes’ é sinal de que sua criatividade se foi e de que as luzes desse seriado estão para se apagar. Dei a FF um ultimato, se não rolar um momento impressionante até o próximo episódio, desistirei completamente e seguirei com a minha vida. [compre: LOST em DVD]

Irina ZzzzZzzzzProject Runway“Finale Part 2″
Irina ganhou. Que tédio. Pior temporada de Project Runway hein? Abalou até mesmo minha crítica que não sabe muito bem para onde ir depois que meu reality favorito tornou-se essa pasmaceira chata e previsível. Uma pena pela Carol Hannah e pela Althea que mereciam tanto ou mais do que a Irina, cuja maior vantagem foi mesmo não ter perdido desafios. Oremos por uma sétima temporada mais criativa e inovadora ou será mesmo o fim da alta costura e da boa programação na TV. [compre: PROJECT RUNWAY em DVD]

E vai rolar pausa semana que vêm? Será que teremos uma coluna vazia?



This entry was posted in Críticas, Goma-visão, TV and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook