Goma-visão #16 – Quando ela terminar com você não sobrará nada


Os gigantes estão voltando, semana retrasada foi 24 Horas, em seguida veio Damages e essa semana será Lost. Enquanto a solução de seis anos de enigmas da ilha não chega, focamos nossa atenção nos mistérios por trás da terceira temporada de Damages, um dos mais intrigantes thrillers da atualidade. O roteiro cinematográfico, as atuações de alto calibre e a sensação de estar sempre perdendo para os protagonistas menos confiáveis da tevê estão de volta.

Essa semana teremos: Being Human, Damages, 24, House, Life Unexpected, The Vampire Diaries e Caprica. Só tome cuidado com os spoilers de sempre.

Being Human“Episode 3″
Maldita seja a falta de gênero para certos substantivos em inglês. Como quem acompanha sabe, desde o final da primeira temporada que um misterioso “professor” está na cola do trio mais sobrenatural[bb] de Bristol sem que eles nem desconfiem. Experimentando em lobisomens, empregando sensitivos e agora fingindo ajudar Nina, o tal professor aparentemente estava mais próximo do que podíamos imaginar. E não, isso não é um choque já que Being Human constantemente brinca com a possibilidade de pessoas ordinárias esconderem segredos assustadores bem debaixo dos nossos narizes. Annie não é só uma bartender, George e Mitchell tão pouco são só auxiliares de limpeza e, pois é, Lucy também não é apenas uma médica que quer fazer a coisa certa, ela é – por acaso – o misterioso Professor (Professora?) Jaggart que promete arruinar a vidinha comum dos amigos. Destaque paralelo para a rede política dos vampiros com a qual Mitchell tem que lidar cada vez mais. Se ela, por si só, não é um caso sombrio de “The plot thickens”, não sei o que seria. [compre: BEING HUMAN em DVD]

Damages“Your Secrets Are Safe”
Patty Hewes está de volta e ela virá atrás de tudo o que você teve, tem ou teria. A melhor e mais dissimulada advogada de Nova York persiste ampliando consideravelmente o perigo ao perseguir a fortuna escondida da família Tobin, responsável por um dos maiores escândalos financeiros da história, lesando mundialmente investidores privados em mais de 9 bilhões de dólares. Seis meses a frente do caso, percebemos que a vida da advogada[bb] só complicou. Numa intrincada trama, o futuro nos revela a fatídica verdade da temporada: Tom Shayes está morto. No presente, Ellen Parsons percebe o cerco de Patty ao seu trabalho no DEA enquanto o próprio Shayes comemora a sociedade merecida depois de tantos anos de lealdade a Patty. Mal sabe ele que sua recompensa será ser encontrado assassinado dentro de um lixão as margens do Hudson. Com astros como Lily Tomlin, Campbell Scott, Keith Carradine e Martin Short, a terceira temporada de Damages promete ser nada menos do que um evento televisivo. [compre: DAMAGES em DVD]

24 Horas“Day 8: 8:00P.M. – 9:00P.M.”
O oitavo dia se complica ainda mais graças a (falta de) sanidade mental de Renee. Acompanhando-a numa missão quase suicida, Jack prepara sua possível infiltração no grupo mafioso russo que parecer ter ligação direta com o presumível ataque nuclear providenciado pelos dissidentes do presidente Hassan. Apesar de a quinta hora ter sido fraca no que se refere ao avanço da trama, gostei de ver a entrada definitiva de David Anders no elenco da série. Esqueça o que você viu em Heroes[bb], Anders interpretou o perigoso Julian Sark em Alias, um dos melhores agentes duplos da televisão o que, espero, será levado em consideração quando seu personagem Josef Bazhaev tiver que lidar pessoalmente com Jack Bauer. E só entre nós, pra quê Dana Walsh? [compre: 24h em DVD]

House“Remorse”
House se converte cada vez mais numa ficção científica ou, no mínimo, especulação científica. No episódio da semana passada, a deficiência (ou incapacidade) de absorver o cobre de uma das pacientes foi responsável pela alteração fisiológica de seu cérebro[bb] e, consequentemente, por sua transformação numa perigosa psicopata. Incapaz de sentir emoções ou de operar na esfera moral de pessoas “normais”, a paciente da vez intrigou House comportando-se basicamente como ele durante todo o episódio até que, magicamente, voltou ao normal quando o tratamento começou a fazer efeito. Se bondade foi sintoma temporadas passadas, por que não psicopatia? [compre: House em DVD]

Life Unexpected“Home Inspected”
Foi como entrar num universo expandido. No segundo episódio de Life Unexpected, os produtores fizeram uma verdadeira revisão do roteiro, cortaram o cabelo da Shiri e deram a Lux uma vida muito mais completa do que a da pobre garota vivendo num lar abusivo. Agora com amigos encrenqueiros, a garota se revelou como uma adolescente[bb] bem mais completa. A idéia de se emancipar ganhou novas cores já que a idéia era se mudar com a melhor amiga e seu namorado (mais velho?) para um apartamento meticulosamente malocado. Claro que ser reunida com seus pais biológicos acabou atrapalhando o plano adolescente, dificultando tanto sua tentativa de emancipação quanto sua mudança em definitivo para a casa da mãe[bb]. Nada que um quarto bem reformado não facilite né? Foi mais fraco do que o piloto, mas a aura ainda é promissora.

The Vampire Diaries“Unpleasantville”
Se você mora em Mystic Falls e não é uma bruxa, um vampiro ou descendente direto de um deles, você não é ninguém. Por isso é tão difícil acompanhar tramas que não envolvam indiretamente os irmãos Salvatore. Seja a do marido que pretende vingar a morte da esposa (mãe biológica de Elena? Será?!), seja a da amiguinha do Jeremy que é na verdade uma vampira sanguinária, ou mesmo a trama principal na qual Damon Salvatore ainda pensa num jeito de libertar Katherine de sua tumba imortal. Em “Unpleasantville”, Kevin Williamson brincou com seus fãs recriando seu melhor momento no cinema “Hello Sidney” virou “Hello Elena” e fazendo o que sabe fazer muito bem tomando as rédeas do terror teen sem deixar de lado as múltiplas tramas que culminarão no sangrento final de temporada. Pois é, só melhora minha gente! [compre livros da série Diários do Vampiro]

Caprica“Rebirth”
Digo que fiquei tão feliz ao ver esse segundo episódio de Caprica que até passei a seguir @sergegraystone no twitter. Tudo o que me fascinava em BSG[bb] está em Caprica, mas de forma bem mais sutil. Os Soldiers of The One que originarão as crenças messiânicas dos Cylon permanecem de pano de fundo enquanto a perigosa Zoe Graystone faz as vezes de mini-Six já tendo até escolhido seu Gaius Baltar. Seu pai, cego diante da possibilidade do avatar da filha ainda estar vivo, permanece ignorando o pesar de sua esposa. A explosão de Amanda durante o memorial das vítimas do ataque terrorista ao trem foi de encher os olhos. Ainda não me convenci do papel que o pequeno Adama vai desempenhar na trama que liga seu pai ao criador dos cylons, mas algo me diz que será na união dos dois que o fim das doze colônias irá começar. Palmas ao Sy-Fy por não deixar BSG desaparecer. [compre: Battlestar Galactica em DVD]

E para os (2) que esperavam a crítica do final de Dollhouse, tá aqui ó!



This entry was posted in Críticas, Goma-visão, TV and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • Tonho da Mala

    poxa hector gostava mais do layout antigo e tals , esse tá muito default sem sal :~

  • http://hectorlima.com Hector Lima

    valeu, Tonho. mas a gente quebrou a cabeça p\ chegar nesse visual e ficou bem satisfeito. o que vc não gostou exatamente?

  • Tonho da Mala

    o texto tá meio esprimido entre as propagandas , antes era texto na esquerda propaganda na direita , mais sucinto . e o fundo antigo do goma de mascar era muito bom mesmo , pelo menos podia dar uma reaproveitada , ou criava um novo , puro azul é twitter.