Goma-visão #12 – Destination: Horror!


Dollhouse

Está difícil assistir qualquer coisa sem imaginar o cronômetro se aproximando do zero como no final de Comando Estelar Flashman, lembra? O ano de 2009 está chegando ao fim e assim acompanham os episódios inéditos das séries da Goma-visão. Algumas se despedem definitivamente essa semana e outras entram numa pausa de semanas ou meses. Cada vez mais chique, o recesso provoca um verdadeiro rebuliço nos roteiristas que capricham nesse pseudo-finale para garantir que a audiência esteja lá quando voltarem. E nós, fiéis espectadores, caímos nessa como patinhos.

Na coluna de hoje teremos: Brothers & Sisters, The Big Bang Theory, How I Met Your Mother, Glee e Dollhouse.

Brothers and SistersBrothers & Sisters“Nearlyweds”
Fiquei meio assim com os rumos dessa quarta temporada. Tudo bem, B&S tem os objetivos de especular sobre a vida real e dar-lhe ares de novela, mas vamos lá, todos os clichês se acumularam numa única temporada. Primeiro, o irmão mau que dá o golpe na família (e acaba ferrando a pessoa que nem é da família dele), depois a gravidez inesperada da mais nova parente (via casamento) e aí o câncer da Kitty. Até eu achei demais essa onda de eventos atingindo os Walker, mas depois de uma certa notícia essa semana entendi: coisas assim acontecem. Portanto, até que B&S cumpre seu papel em jogá-las na trama, mesmo que pra isso tenham derrubado a Kitty em pleno casamento do Justin. Isso foi de uma maldade exemplar dos roteiristas. Aguardaremos o gancho para saber se os Walker terão uma irmã a menos até o fim da temporada. Oremos. [compre: BROTHERS AND SISTERS em DVD]

The Big Bang Theory“The Gorilla Experiment”
Alguém podia trocar o nome dessa série para The Big Sheldon Theory? Todos sabemos que basta ele entrar em cena para roubá-la e nesse episódio não foi diferente. Cada vez mais a dinâmica de Penny e Sheldon me cativa, ela tentando aprender física foi quase tão bom quanto o ele tentando ensiná-la. Quem liga pras outras tramas dessa série? Certamente eu não. Mesmo achando Wollowitz simpático, eu não podia estar mais distante da traminha envolvendo sua nova e esquisita namorada. [compre: BIG BANG THEORY em DVD]

HIMYMHow I Met Your Mother - “The Window”
Estou convencido de que HIMYM é a mais longa comédia romântica já escrita. E se de fato isso for provado verdade, ‘The Window’ foi a cereja num bolo bem doce. Voltando o foco para Ted (finalmente), os roteiristas de HIMYM nos lembraram do objetivo principal dessa série: explicar como Ted conheceu a mulher de sua vida. O episódio dessa semana foi sobre uma dessas pessoas perfeitas, pena que Ted não era sua contraparte. Particularmente, conheci pessoas assim como a personagem convidada, gente que simplesmente encantava todos ao seu redor e que jamais passava 5 minutos sem ter um relacionamento. Estranho enxergar realismo numa história tão romântica, mas… eu enxerguei (do mesmo ponto de vista que o Ted, devo acrescentar). [compre: HOW I MET YOUR MOTHER em DVD]

GleeGlee - “Sectionals”
E eis o melhor dos pseudo-finais de temporada. ‘Sectionals’ teve de tudo um pouco. Os personagens pouco gostáveis deram um passo para que pudéssemos ter a chance de nos apaixonarmos por eles num futuro não muito distante. Convenhamos, Rachel, Quinn e mesmo Mercedes não são as preferidas de ninguém, mas vê-las juntas e tensas com o concurso foi bom para conferir a elas um tantinho a mais de simpatia. Rachel cantando ‘Don’t Rain On My Parade’ foi exatamente o que podíamos esperar da estrela do New Directions. O baby drama acabou e numa corrida romântica ao som de Kelly Clarkson, Mr. Schue e Emma finalmente se acertaram com o mais lugar-comum (e incrível) dos beijos românticos. E para variar, Sue Sylvester de Jane Lynch continua a roubar os holofotes com seu diálogo de despedida anunciando HORROR para o Glee Club assim que ela retornasse. Essa série ainda vai ficar muito melhor, se é que isso é possível. [compre: GLEE em DVD]

Dollhouse - “Meet Jane Doe” / “A Love Supreme”
E cá continuamos com a vingança de Joss Whedon sobre nossas cabeças. Alpha como uma versão whedoniana do Coringa é apenas um dos poucos atrativos dos dois episódios que continuam a cavalgada para o cancelamento inevitável. Finalmente, Ballard e Echo tornaram-se personagens queridos e críveis. Uma espécie de Neo cruzada com Faith (sua personagem em “Buffy”), Eliza Dushku abraçou o conceito da Dollhouse e agora tem 36 personalidades a sua disposição para fazer o merecido estrago que a Rossum jamais imaginou possível. Adelle, recuperando o controle da casa de forma friamente majestosa, deu uma boa chacoalhada nos espectadores que a amavam. Parece que ninguém mesmo é confiável nesse universo. Fiquei feliz de rever Sierra e Victor, cada vez mais apaixonados independente de seu doll state, e fiquei tenso ao assistir Topher entregar a tecnologia que o deixará louco muito em breve. Qualquer um, ao alcance de um celular, terá a chance de experimentar a despersonificação que a Dollhouse oferece a preços altos e, senhoras e senhores, esse será o fim do mundo como conhecemos. Discutindo temas como identidade, escravidão, feminismo, corporativismo e a existência de algo maior que nos defina, “Dollhouse” como bem disse o crítico do Chicago Tribune solidifica-se, de fato, como a série intelectualmente mais desafiadora da televisão contemporânea. Sem jamais deixar o entretenimento de lado, tal qual uma brilhante peça pop, a casa das bonecas criada por Joss Whedon cumpre seu papel e nos fará pensar até seu último episódio. [compre: DVD de Dollhouse]

E semana que vem mais Dollhouse e o final de Dexter no que será a última Goma-visão do ano. Vai perder essa?



This entry was posted in Críticas, Goma-visão, TV and tagged , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://www.twitter.com/roger_brandao rogério

    pera lá. Mercedes me conquistou desde quando disse que era Beyoncé, e não Kelly Rowland! \o/

    se continuar neste tom, Glee tem tudo pra ser a série mais amada de sua geração.

  • http://meadiciona.com/deniscp/ Denis Pacheco

    Eu gosto da Mercedes, mas até eu tenho q admitir: ela é um estereótipo ambulante

  • http://hectorlima.com Hector Lima

    adorei que a coluna tá na edição #12! vai acabar a temporada no ep. 13, haha