Crítica: ATIVIDADE PARANORMAL


paranormal_activity_poster

no último fim de semana peguei por acaso uma exibição [às 4h15 da manhã!] durante a mini-virada promovida pela Livraria Cultura. a história do jovem casal e sua câmera pra captar os fenômenos paranormais que os atormentam se deu muito bem no boca-a-boca: tem sido alardeado como um dos filmes mais assustadores dos últimos tempos, com seu estilo realista [uma atendente na porta do cinema disse se tratar de um documentário] e por ser um fênomeno de bilheteria – a produção independente custou US$ 15 mil e rendeu até agora mais de US$ 100 milhões.

a propaganda feita pelo estúdios Dreamworks e Paramount, que quase comandaram um remake após descobrirem o material já pronto que os havia sido enviado, incluiu exibições-teste com adolescentes saindo de medo da sala e pulando nas cadeiras [veja vídeo abaixo] e factóides como Spielberg dizer que teria ficado trancado em casa porque as portas haviam se fechado após assistir ao DVD de avaliação. outros eventos de bastidores contam que o filme estava pronto desde 2007 mas essa indecisão entre refilmar ou não [isso porque o filme é americano, vai vendo] e uma uma disputa entre os dois estúdios fizeram o lançamento acontecer só em 2009.

o problema é que todos esses fatos e factóides se sobressaem mais que o filme em si. não vou mentir: ele dá um nervoso de verdade com porta batendo, gritos espirituais, objetos sendo mexidos, levantados, arrastados, jogos de luz e sombra que procuram gerar atmosfera deixando as coisas acontecerem fora da cena. mas, assim como se pode ver no trailer e nas exibições-teste, tem muito sustinho de pular da cadeira do que realmente um clima assustador como o tema sugere.

o casal de personagens não ajuda a criar esse clima: suas interpretações meio over estragam o fato de serem rostos desconhecidos – o que contaria a favor nesse tipo de filme. o roteiro, do próprio diretor estreante Oren Peli, força situações irritantes para que eles não saiam de casa nem recebam ajuda [é hilária a segunda visita do médium à casa, deixando o casal à própria sorte], enterra fundo o potencial da história e me fez querer que o espírito zombeteiro levasse logo esses dois chatos pro além.

o filme tem 86 minutos, mas parece se arrastar por 3 horas; depois da enésima vez em que corta pra visão da câmera armada no quarto, pra captar algo enquanto dormem, os sustos e a estranheza acabam ficando com cada vez menos força [apesar de irem aumentando], porque nos avisa quando vão chegar.

é possível ir por um viés psicológico e traçar um paralelo dos momentos de “discutir a relação” do casal com uma fonte provável do problema – seria o espírito uma manifestação física do animus de Katie para se defender do anima dominador de Micah, o marido mala? a estrutura do filme não se presta a isso, mas o que não sabemos nesse caso nem ajuda a dar mais medo, apenas parece desleixo porque Peli não sabia como acabar a história. o final da versão comercial foi escolhido – entre 3 filmados – por Spielberg.

obviamente é inegável a força inerente ao filme. histórias de espíritos contadas no dia-a-dia ainda assustam muita gente mesmo em 2009, ainda mais nesse estilo de “câmera achada” que vem desde LEGEND OF BOGGY CREEK [DVD aqui] e CANIBAL HOLOCAUSTO [DVD aqui], passando por BRUXA DE BLAIR, CLOVERFIELD, [REC] e outros que souberam muito bem aterrorizar sem mostrar tudo, e assustar te levando pra dentro do filme com uma câmera participando da ação. no século 21, em que qualquer pessoa sobe um vídeo para o Youtube, esse estilo foi consolidado e popularizado como nunca.

ATIVIDADE PARANORMAL pega algumas ferramentas desse estilo “docudrama” mas não faz uso delas de maneira forte o suficiente para se levar o medo pra casa após a luz docinema acender. é apenas uma volta no trem fantasma do parque de diversões que são os shopping centers. há vídeos na youtube – reais ou não – bem mais assustadores.

ATIVIDADE PARANORMAL estréia dia 4 de dezembro no Brasil.



This entry was posted in Cinema, Críticas, Trailers and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • Rodrigo

    Bom, pode ser mas eu me assustei pra cacete e não consegui dormir depois.
    E olha que fazia muitos anos que isso não acontecia comigo.

  • Roger

    Essa Critica é totalmente sem noção , de quem só quer mesmo dar-se uma de “entendedor” de cinema.
    Mostra que com uma camera é possivel contar uma historia assustadora e intrigante.

    O filme é ótimo já assisti duas vezes e já vi detalhes que não tinha vista na primeira vez.

    Recomendado

  • Paula

    Os primeiros 30 min de filme se arrastaram, mas o ritmo da narrativa progrediu e o medo vinha junto. Fiquei tensa em alguns momentos, mas nada muito diferente de Bruxa de Blair. Fui ao cinema pensando que fosse um filme baseada em fatos reais, mas pelo que vi e li é pura ficção né?! E por isso tudo conclui que esse estardalhaço que fizeram não passa de marketing pesado e só. Nada de novo!

  • Lucas

    Uma das coisas que mais me interessou no filme foi o fato do diretor não usar de fantasmas horrendos correndo atrás das pessoas , gritando e coisas mais.

    Foi simplesmente mostrar aquela luzinha do fundo acendendo , os passos na casa, a porta abrindo e fechando , uma coisa bem ” real ” , comparado com filmes do gênero.

    Conclusão: Sim, eu fiquei assustado . . . muito :)

  • Jaiminho

    Eu discordo da parte dos atores, achei a atuação e por eles serem rostos desconhecido que é o que fez as pessoas acabarem entrando um pouco na pele dos personagens. Eles agem com uma naturalidade até que realista comparado aos outros filmes de terror. Eles sentem medo quando as coisas acontecem, mas no outro dia eles meio q esquecem, e na realidade é assim tbm. Você sente medo a noite, de manhã você meio que já esqueceu. E você tbm tem as partes de ser machão quando ta com raiva, eu achei a psicologia dos personagens muito boa, fugiu bastante da psicologia estérica e irreal.

  • Lobo

    Paula sem querer ir contra mais o filme e real SIM foi feito tipo uma reconstituição com atores eu vi o filme ri muito de meu amigo que gritava como uma mulherzinha sem querer ofender nenhuma o filme mi deixava nervoso que na hora que ela grito foi o Micah atras no final e ele nao levo a camera mi deixo bolado queria ver o que era como foi so escutei gritos depois um Micah voando na camera meus amigos “machos” fecharam os olhos so eu como fiquei com olho aberto escuto passos e ela vem que nem samara saindo da tv cheirando o corpo do Micah sorindo pra camera batendo nela no final acaba nao apareceu cretido todo mundo falando nao acabo nao nao acabo nao depois escuta eles falando eu que nao vou ficar aqui pra ver todo mundo indo embora ahaha depois meu amigo ficou chorando achando que como ele viu o filme o demonio vai vim atras dele aih aih vi o filme ontem as 21:00 no Cinema New York City Center ri muito no filme…

  • Pingback: Trailer: ENTIDADE PARANORMAL, novo genérico da Asylum