Wolfgang Petersen, tô de olho em você e na sua adaptação de PAPRIKA


Começa com uma mocinha fazendo uma visita a um paciente num quarto de hotel. Tudo parece correr normalmente até que ela decide abandonar sua motocicleta para sair voando por Tóquio. Assim se inicia “Paprika”, um anime de 2006, produzido pela Madhouse e baseado no surreal livro de Yasutaka Tsutsui. Dirigido por Satoshi Kon ["Tokyo Godfathers"], “Paprika” conta a trama não-linear de uma terapeuta que usa uma máquina capaz de permitir a entrada em sonhos para o tratamento de casos clínicos, quando a maravilha tecnológica é roubada, seu alter-ego Paprika entra em ação. Em 2009, Wolfgang Petersen ["Poseidon"] se colocou na missão de trazer o live-action para a telona e nós estamos só de olho.

Em entrevista ao blog Splashpage da MTV, o diretor de “História Sem Fim” declarou: “Eu vi e bingo. Eu pensei ‘isso é fantástico. isso é uma grande história e vai dar um filme muito, muito interessante’“. Com a ajuda de um jovem roteirista – ainda não oficialmente contratado – Petersen já está trabalhando uma maneira de tornar a trama psiquiátrica mais acessível ao grande público e em comparação evocou “Matrix” como uma de suas influências. Enquanto isso, espera um estúdio aprovar o projeto.

Sim, mundo virtual [ou algo próximo disso], pessoas manipulando a realidade num cenário que mistura o neo noir e a psicodelia insana de personalidades megalomaníacas. Mas o que significa exatamente tornar a trama “mais acessível”? Está certo que “Paprika” intercala vários níveis de realidade, personagens passeiam tanto pelo mundo real, quanto pelo mundo dos sonhos que é permeado por cenários de filmes e memórias de infância, mas a que nível precisaríamos chegar para que uma audiência global não tivesse sua inteligência insultada?

Vindo do homem que tirou os deuses de “Tróia”, podemos esperar tudo. O jeito é ficar de olho e procurar a obra original. Não por acaso, Satoshi Kon está trabalhando desde 2007 numa nova animação que poderá se passar no mesmo universo chamada “Yume-Miru Kikai” (algo como “The Dreaming Machine”). Caso a adaptação de “Paprika” venha mesmo pros cinemas e não seja aquilo que esperávamos, já sabemos para onde correr.



This entry was posted in Animação, Cinema and tagged , , , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://paulogallian.com Pôlo

    Putz, adoro essa abertura!

    O Paprika tem uma clara influência de autores consagrados, estilos e temas, e eu gostei do anime. Espero que eles façam uma adaptação digna, e não só uma cópia ruim de Matrix. Vamos aguardar :)