palestra do j. j. abrams no TED


TED é um evento estadunidense de Tecnologia, Entretenimento e Design meio parecido com o Disinfo inglês [a nacionalidade faz diferença] e sempre tem muito conteúdo legal.

nesta palestra de 20 minutos que eu vi no Trabalho Sujo, o produtor de LOST, CLOVERFIELD fala sobre o mistério como catalizador da imaginação, como esconder é mais importante que mostrar e usa exemplos de obras suas e do Spielberg – meio que pretensamente se igualando a ele, e em certos pontos não está errado – para validar seu ponto.

por um lado é fascinante, porque JJ [muito mais novo do que se pode pensar] é um dos caras de Hollywood que mais entende as novas mídias e como fazer elas funcionarem a seu favor e responsável por alguns dos maiores sucessos de bilheteria \ audiência recentes sem as pessoas sequer saberem ao certo o que acontece nas obras que ele cria [quer dizer, sabem o que precisam saber, e acho que no fundo sabem mais do que gostariam de admitir].

não sei se por eu estar sempre pensando nas engrenagens de uma história mas no geral não senti grandes novidades no que ele diz, mas a gente um pouco vê como funciona a cabeça do cara, e como ele consegue enrolar a platéia como um mágico ilusionista.

é isso o que faz com suas criações, como todo bom criador faz, na verdade, mas aqui a coisa tem um verniz picareta. ele é como uma versão ultrapop do mundo bizarro do David Lynch. inclusive o Justin Theroux no MULLHOLAND DRIVE [no papel de um diretor] se parece com ele um pouco.

por mais que eu ame LOST [hoje, porque no começo achei que era hype vazio pra enganar jornalista burro - e eles existem aos montes] e tenha adorado o CLOVERFIELD [já ALIAS, FELICITY e MISSÃO IMPOSS



This entry was posted in Artes, Cinema, Design, TV. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook