Eu Quero Acreditar


x files

Arquivo X foi uma das poucas séries que assisti na adolescência. Sem tv à cabo em casa, eu dependia das VHS que trocava com uma amiga na escola, esta extremamente viciada na série, e apaixonada por David Duchovny (sempre achei o sobrenome bem apropriado).

Acabei por não assistir todos os episódios, e em algum momento parei de acompanhar, perdendo o rumo da série. Mas graças a nossa boa internet, pude voltar a acompanhar a saga de Mulder e Scully. E foi com bastante ansiedade que estive ontem na estréia de “I Want to Believe”, segundo filme baseado na série.

Eu já tinha lido algumas notícias desanimadoras por aí e visto a pontuação baixa do filme no Rotten Tomatoes, mas fui sem pré-julgamentos e constatei que Arquivo X 2 não é um filme ruim.

A produção é toda bem amarrada, o roteiro tem diversos pontos interessantes, e apesar do trailer apontar nessa direção, os ufos não estão presentes desta vez. I Want to Believe é uma história sobre a natureza humana.

Um ex-padre, condenado por ter abusado sexualmente de 37 coroinhas, ajuda o FBI a localizar corpos de mulheres desaparecidas e a busca pelo assassino e possíveis vítimas ainda vivas.

Dana Scully agora é médica em um hospital comandado pela igreja, e cuida do caso delicado de um garoto com uma doença incurável. Fox Mulder continua o mesmo, já sem nenhuma ligação com o FBI, vive isolado em sua casa cultivando sua esquisitice e uma barba igualmente estranha.

Confusos com os acertos do padre, mas desconfiados por conta de seu passado, dois agentes do FBI, um deles interpretado por Alvin Xzibit Joiner (sim, ele mesmo, Mr. Pimp My Ride), recorrem à Dana para que entre contato com Mulder e junte-se a ele neste caso, ajudando o bureau.

A história se desenvolve em volta da dúvida sobre veracidade das visões do padre Joseph Criss e dos reais motivos dos sequestros. É possível confiar num pedófilo? Estaria ele envolvido nos crimes? Ou apenas criando uma história na tentativa de obter perdão pelos erros do passado?

A fórmula “men of faith, woman of science” (onde é que eu vi isso mesmo?) continua perfeita, assim como David e Gillian se encaixam bem em seus antigos personagens. O problema é que o filme parece um grande episódio de tv exibido nos cinemas. Para os fãs isso não é um problema, quanto mais material disponível melhor, mas se analisarmos o filme dentro de todo o contexto da série, ele tem pouco a acrescentar, parecendo apenas uma tentativa desesperada de Chris Carter para conseguir mais uma graninha às custas dos aficcionados pelo universo de Arquivo X.

Retirar personagens históricos do sossego de sua aposentadoria para contar uma história genérica, sem todas as ligações fortes com o universo que os envolveram durante todos aqueles anos me parece um erro bem grande. Nós queremos saber de fatos que alterem completamente seus destinos e que respondam a dúvidas que ficaram no ar por todos estes anos.

Alguns sites já falam de um possível terceiro filme para fechar de vez a história da dupla. Se realmente for acontecer, espero que foque na mitologia da série e nos dê uma boa despedida de Mulder e Scully. Para que nós continuemos a acreditar.



This entry was posted in Cinema, Trailers. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://hectorlima.com HectorLima

    po, eu já não tava muito afim de ver; agora menos, hehe

  • Elise

    po, nao vo no cinema, vou baixar e ver na tv como um pisodio espcial!
    scully cabeluda e com a cara caida ai!