David Goyer, roteirista de Batman, vai escrever novo filme do Super-Homem


Essa veio como uma pequena bomba silenciosa, mas deveríamos ter desconfiado: quando Christopher Nolan foi chamado para ser uma espécie de consultor do novo filme do Super-Homem, quem ele chamaria para tocar logo o roteiro? Seu parceiro David Goyer, co-responsável pelas histórias de CAVALEIRO DAS TREVAS e BATMAN BEGINS.

Jonathan Nolan, irmão do diretor Christopher, vai cuidar do roteiro novo filme do Batman, enquanto Goyer só dá alguns pitacos. Porque, segundo o boato com ares de notícia oficial do Latino Review, Thomas Tull – o cabeça da produtora Legendary – teve de resolver rápido e passou a bola para Goyer.

A pressa deve ser porque a Warner precisa fazer logo um filme do Homem De Aço para não perder completamente os direitos sobre o personagem. Se o filme não começar a ser feito em 2011, as famílias de Siegel e Shuster poderão processar novamente o estúdio, vencer e só liberar o direito de uso sob licença.

Pelo que disse Pinche Taco, o informante do Latino review que mistura inglês com espanhol em seus scoops, o filme se chamará MAN OF STEEL [Homem de Aço], não recontará a origem [e por decisão judicial nem pode, sem pagar o espólio dos criadores] mas vai ter bastante mitologia Kryptoniana e terá muitos dos elementos realistas da fase de John Byrne – que tentou fazer a existência do Super-Homem mais crível.

Isso dá um certo receio de jogarem o projeto na vale do “Realismo” que deixa a Fantasia mais suja, feia, triste e limitada para parecer mais verossímil. De qualquer forma que não gostou de SUPERMAN – O RETORNO, pode sossegar que não vai ter Brandon Routh nem Bryan Singer. Outros detalhes: o jornal PLANETA DIÁRIO vai estar em dificuldades para se adaptar à Internet e os vilões serão Lex Luthor e o supercomputador alienígena Brainiac.

Aposto meu ingresso que este último vai acabar controlando “a rede mundial de computadores” e zoar todos os “sites de relacionamento”. Lembrete: David Goyer foi o criador da série FLASH FORWARD.

atualização: o Aint It Cool diz ter conversado com Tull, que teria desmentido a história.

[compre: DVDs do Superman]



This entry was posted in Cinema and tagged , , . Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • BetoPlacido

    Meu caro Hector,

    Discordo quanto à colocação sobre a “fase John Byrne.” Ele nunca tentou tornar o super mais “crível” – apesar de que tinhamos aquelas tremendamente bobas explicações que ele adorava enfiar nas estórias, (julgo eu, lembranças do Superman de Jack Kirby) ele nunca tentou explicar como o personagem voa e essas coisas. O que Byrne fez foi transformar o Super em personagem secundário de sua prórpia revista, trazendo à baila Clark Kent e, com ele, toda uma enxurrada de personagens que sempre estiveram à sombra do herói. Alias, expediente mais do que abusado na MARVEL, em especial com um certo aracnídeo.

    Seu personagem é menos ícônico (e longe de mim falar mal desse Superman, ainda mais depois de ALL-STAR SUPERMAN) mas isto o ajusta melhor para os nossos tempos. Acredito que um dos grandes problemas para aceitar o Super está no fato de que ele nunca vai perder, errar, falhar… enfim, quem pode se identificar com alguém assim? Ver o mundo através de Clark é o que tem mantido o personagem em evidência desde 1986. Se tem algo que eu não perdoô em SUPERMAN RETURNS é o fato de que ignoraram completamente os últimos vinte anos da existência dos quadrinhos. Até mesmo as séries de TV (LOIS & CLARK, principalmente, e SMALLVILLE) buscaram nesse Superman a sua inspiração – tendo relativo sucesso de público.

    Enfim… talvez eu finalmente veja nos cinemas o Superman dos quadrinhos com o qual eu cresci. Ou, ao menos, um filme novo aceitável.

  • http://hectorlima.com Hector Lima

    Beto, concordo contigo no geral. o comentário sobre o Realismo do Byrne no Super foi porque ele reduziu seus poderes e tentou dar explicações mais plausíveis pros poderes e pra não descobrirem que ele era o Clark.

    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Byrne#Superman

    lembro de alguma menção sobre como o corpo dele se relacionava com nossa gravidade pra ele poder voar etc, mas minha memória pode estar me enganando.

  • BetoPlacido

    Alguém me falou desse lance da gravidade, mas acho que foi posterior – coisa do Jurgens, creio. E eu realmente não me lembro de nada sobre ocultar a identidade além do mostrado na primeira edição do “THE MAN OF STEEL”: pentear o cabelo pra trás e usar óculos.