Como começou o caso curioso de Benjamin Button


Confesso que fui desarmado de qualquer referência quando assisti “Benjamin Button” pela primeira vez. O filme, dirigido por David Fincher e estrelado pelos horrorosamente bonitos Brad Pitt e Cate Blanchett , não é uma história original para o cinema como eu havia leigamente imaginado. Adaptado de um conto do brilhante F. Scott Fitzgerald (o mesmo de “O Grande Gatsby” q em breve terá seu remake – o original tinha Robert Redford no papel principal), “Benjamin” faz parte de uma coletânea de 1922 intitulada “Tales of the Jazz Age”. Para os “curiosos” (me deixe ser infame), o conto pode ser lido na íntegra na Internet, em seu idioma original, e começa um tanto diferente do longa metragem…



This entry was posted in Cinema, Livros. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://hectorlima.com HectorLima

    li hoje de manhã uma sinopse completa no wikipedia e me pareceu bem menos interessante – o benjamin nasce com a mente de um velho, é obrigado pelo pai a fingir que é novo pra se misturar às crianças etc. um dos casos raros em que o filme é melhor que o material-fonte. aliás, beeemmm melhor. quanto mais penso no filme melhor ele fica na minha cabeça.

  • http://meadiciona.com/deniscp/ Denis Pacheco

    Acho que a única coisa q mudaria no filme são os flashes do Hospital. Achei um tanto arrastado, um tanto claustrofóbico. Aquela situaçao do furacão, e aquela narraçao sufocada deram uma certa angústia.

    Mas achei o filme excelente, preciso ler o conto (mesmo sendo radicalmente diferente, gosto do Fitzgerald)

  • http://hectorlima.com HectorLima

    tb achei que as cenas do hospital podiam ser mais curtas ou em menor quantidade. mas elas precisam estar lá – pra costurar o passado do benjamin e porque o filme se passa naquele local. foi um jeiro de mostrar que cidades também morrem e aê fecha o tema do filme de que ‘nada é pra sempre’.