Cinema Japonês – 100 anos de Japão no Brasil


as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil continuam – e vão até o fim do ano – com uma mostra de filmes em São Paulo. programação completa após o “more”:

Cinema Japonês – 100 anos de Japão no Brasil

A Fundação Japão e o Centro Cultural Banco do Brasil apresentam, com curadoria de André Sturm, vinte títulos mais representativos da arte cinematográfica japonesa que desvendam os mais variados cenários do Japão.

O período de 20 de fevereiro a 9 de março de 2008 reserva uma rara oportunidade, para que o público brasileiro aprecie um panorama completo de estilos e temas, dos mais destacados diretores, dos clássicos aos contemporâneos.

Programa imperdível para conhecer ou rever, descobrir e participar da história do cinema japonês em solo brasileiro. Ver “A Luta Solitária”, de Kurosawa, um raro filme que ganhou o Prêmio Mainichi, em 1950. Conferir duas peças do veterano Kaneto Shindo, com “A Ilha Nua” (vencedor do Grande Prêmio do Festival Inernacional de Filmes de Moscow, em 1961 e nomeado como melhor filme pelo Prêmio BAFTA, em 1963) e “Onibaba, a Mulher Diaba” (ganhador de dois prêmios – Melhor Cinematografia e atriz coadjuvante, no Prêmio Blue Ribbon, no Japão, em 1965).

Outro destaque fica por conta do premiado “A Enguia”, vencedor de 13 títulos ao redor do mundo, além de arrebatar Palma de Ouro, em Cannes, para o diretor Shohei Imamura. Confi ra atentamente a seleção de fi lmes da mostra, que compõe um dos programas da Fundação Japão, Film Festivals Abroad Program.


FILMES

Coral de Tóquio (Tokyo no gassho)
1931, 90 min, P&B, 16 mm
Direção: Yasujiro Ozu

A Luta Solitária (Shizukanaru ketto)
1949, 95 min, cor, 16 mm
Direção: Akira Kurosawa

Era Uma Vez em Tóquio (Tokyo monogatari)
1953, 135 min, P&B, 16 mm
Direção: Yasujiro Ozu

A Música de Gion (Gion bayashi)
1953, 85 min, cor, 16 mm
Direção: Kenji Mizoguchi

Sublime Dedicação (Nijushi no hitomi)
1954, 155 min, P&B, 16 mm
Direção: Keisuke Kinoshita

Paixão Juvenil (Kurutta kajitsu)
1956, 86 min, P&B, 16 mm
Direção: Ko Nakahira

A Ilha Nua (Hadaka no shima)
1960, 95 min, P&B, 16 mm
Direção: Kaneto Shindo

O Túmulo do Sol (Taiyo no hakaba)
1960, 88 min, cor, 16 mm
Direção: Nagisa Oshima

Mulher de Areia (Suna no onna)
1964, 122 min, P&B, 16 mm
Direção: Hiroshi Teshigawara

Onibaba, a Mulher Diaba (Onibaba)
1964, 100 min, P&B, 35 mm
Direção: Kaneto Shindo

As Quatro Faces do Medo (Kaidan)
1964, 163 min, cor, 16mm
Direção: Masaki Kobayashi

Dois na Sombra / Nuvens Dispersas (Midare gumo)
1967, 108 min, cor, 35 mm
Direção: Mikio Naruse

Castelo de Areia (Suna no utsuwa)
1974, 143 min, cor, 16 mm
Direção: Yoshitaro Nomura

Tampopo – Os Brutos também Comem Spaghetti (Tampopo)
1985, 104 min, cor, 35 mm
Direção: Juzo Itami

Yumeji (Yumeji)
1991, 128 min, cor, 35 mm
Direção: Seijun Suzuki

Gonin (Gonin)
1995, 109 min, cor, 35 mm
Direção: Takashi Ishii

Tokyo Porrada (Tokyo Fist)
1995, 87 min, cor, 35 mm
Direção: Shin’ya Tsukamoto

A Enguia (Unagi)
1997, 117 min, cor, 35 mm
Direção: Shohei Imamura

Tabu (Gohatto)
2000, 113 min, cor, 35 mm
Direção: Nagisa Oshima

O Castelo Animado (Hauru no ugoku shiro)
2004, 119 min, cor, 35 mm
Direção: Hayao Miyazaki

Serviço
Cinema Japonês – 100 anos de Japão no Brasil
Data: 20 de fevereiro a 9 de março de 2008
Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Rua



This entry was posted in Cinema. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook