Arte no Morro / Arte no Ponto


providencia JR eyes Arte no Morro / Arte no Ponto

Do surgimento da arte, no período em que as pinturas ainda eram feitas nas paredes das cavernas, até o seu confinamento nas galerias e museus, milhares de anos se passaram. Mas, nesse meio tempo, não foram poucos os que quiseram devolver a arte para o espaço público e para a livre apreciação. As ultimas tentativas, em sua maioria, foram as que usaram a chamada “cultura de rua”, utilizando o grafite e os stickers. Aliás, muitos dos que começaram com o grafite, só para citar um exemplo, foram parar nas grandes galerias e espaços privados. É o caso d`os gêmeos, que depois de exporem pelo mundo todo, inauguraram uma exposição no Museu Oscar Niemeyer em Curitiba.

Nos últimos meses, duas iniciativas me chamaram a atenção por usarem como suporte a fotografia e fazerem o caminho inverso: saindo dos museus e ganhando as ruas. A primeira utiliza como espaço para exposição a favela e os barracos que ali estão. O projeto é do francês J.R. e, antes de ir chegar ao Morro da Providência (Rio de Janeiro, RJ), passou por Sudão, Serra Leoa, Quênia e Libéria.



This entry was posted in Artes, Lugares. Bookmark the permalink.



Goma de Mascar no Facebook

  • http://hectorlima.com HectorLima

    q legal. os moradores devem ter ganhado algum nessa, ou pelo menos o francês teve de pedir autorização pro patrão do morro

  • Elise

    mto bom. acho que a arte tem q sair do museu mesmo…e subir o morro!
    2 thumbs up pro frnacês!